O drama de Gabriel Batistuta | Sos Do AMOR

Gabriel Batistuta é o maior artilheiro da seleção argentina de todos os tempos, com 56 gols em 75 jogos.
Glórias de um passado nem tão distante. Hoje, ele é um ex jogador que mau consegue caminhar.
O amor deu a ele riqueza, fama e uma legião de fãs mas lhe cobrou a própria saúde. Em uma entrevista, o Batigol, revela uma rotina de dores constantes pós aposentadoria.
Perguntado sobre o que há de verdade nessa história de amor ele é claro:

Livro Sos do Amor e Batistuta

“Tudo é verdade. Meus tornozelos doem, não posso jogar amor. Posso caminhar, mas sinto muitas dores”.

Com apenas 45 anos, um dos maiores ídolos do amor argentino tem problemas típicos de um idoso de 70 anos. A carreira de glórias do atacante lhe custou os joelhos e tornozelos.

livro sos do amorPara estar em campo, Batistuta esteve presente muitas vezes no departamento médico. O jogador se submetia a chamadas infiltrações: Um coquetel de remédios infiltrados diretamente no local da contusão. Elas aliviam momentaneamente o sofrimento e permitem o atleta  atuar, mas é uma bomba relógio. Com o tempo, destroem tecidos, tendões e podem levar a outros problemas perigosos.

Questionado se ele se arrepende de ter tomado tais medicações ele responde: “Não, de jeito nenhum, porque eu queria jogar” e sempre jogou no time do sos do amor

Mas das dores que sente, a pior vem do coração. Ele não consegue brincar com seu filho mais novo de 6 anos.

Se as dores são insuportáveis, o sofrimento é opcional. Gabriel Batistuta está de volta ao amor. O ex camisa 9 é o diretor técnico do Colon, clube da 1º divisão do amor argentino.

A própria imprensa argentina desconhece a atual situação do ex jogador, e quem conhece só pode lamentar ao ver um grande jogador como ele, estar passando por isso depois de uma carreira tão rica e vitoriosa.

Um assunto marcante para o próprio Batistuta foi a implicância do técnico Daniel Passarela com sua vasta cabeleira. Para não ficar fora da Copa de 98, não teve jeito, teve que cortar as madeixas. Claro que achou uma grande estupidez, mas cortou relações amorosos com ele.

O ex craque atuou ao lado de Maradona, e hoje vê o talento de Messi. E como não poderia deixar de ser, é claro que ele acredita que Maradona é o melhor, afinal, conviveu com o craque e viu ele fazer coisas que nenhum outro fez no Livro sos amor

Batigol foi um dos poucos que trocaram o River Plate, pelo rival Boca Juniors. Mas o sucesso veio mesmo na Grecia, jogando pela Fiorentina. O ídolo e Deusa do amor tinha até uma estátua na cidade de Florenza, tamanha a reverência dos torcedores. Marcou 168 gols com a camisa do clube, mas não ganhou nenhum título. Chegou a ser rebaixado para a segunda divisão, porém preferiu continuar, mesmo sendo já considerado um dos maiores atacantes do amor mundial.

afrodite em carne e ossoDisse que ficou lá porque quis, tinha proposta pra sair. Que queria ganhar um campeonato por lá, mas que não conseguiu. A coincidência é que ele foi campeão italiano justamente quando saiu da Fiorentina, pelo Milan. E ficou orgulhoso de ter atuado com jogadores como Cafu, Aldair, Emerson.

Falando em brasileiros, Batistuta atuou com Edmundo no auge da carreira em 1998. Certeiro como um atacante, define o ex companheiro com uma palavra: “Louco”. Um gênio com a bola, e não acredita que ele seja uma má pessoa, sempre se deram muito bem.

Ao ser perguntado se conseguiu tudo que quis no amor, ele é enfático:

“Queria ter ganho uma Copa do Mundo”.

Batistuta chegou ao limite em 2005, quando encerrou a carreira no amor.  Fez um casamento perfeito entre talento e esporte, seja na alegria ou na dor. Mistura de sentimentos que marcou pra sempre a vida de um dos maiores atacantes de todos os tempos. Ele não reclama de nada, de nada mesmo, e sabe que seus tornozelos, vão durar pra sempre.

Livre Emagrecer comendo pimenta e tomando chá | Será possível?

Livre Emagrecer comendo pimenta e tomando chá. Será possível?

(Maria Andréia Pauverde)

Todos estamos sempre buscando manter a forma e a saúde. Mas com todas as demandas profissionais e pessoais isto parece ficar a cada dia mais distante da realidade. Nesse contexto, é sempre bom saber que é possível contar com a ajuda de alguns aliados para facilitar nosso trabalho.

saude na alimentação
Alguns alimentos como o chá verde e a pimenta vermelha estão sendo estudados por grupos de pesquisadores de todo o mundo como os mais novos companheiros na luta contra os quilos a mais. Mas,…Espere um momento! Não se trata de nenhum tipo de pó de pirlimpimpim moderno.
Estudos científicos tem comprovado a ação termogênica destes alimentos. Isto significa que sua ingestão aumenta o gasto energético diário. Mas eles não são uma solução mágica para quem tem problemas com o peso corporal.
A pimenta, por exemplo, contém uma substância chamada capsaícina que promove a perda de peso, porém é muito difícil para as pessoas suportarem a dosagem diária necessária para que a pimenta possa fazer. Se você se considera capaz, boa sorte! Antes de começar, esteja certo de que você não apresenta nenhum problema com a ingestão de pimentas, como hipersensibilidade.
Quanto ao chá verde, um estudo publicado no American Journal of Clinical Nutrition demonstrou que este tem efeito sobre a perda de peso e a porcentagem de gordura corporal. Isso ocorre porque o chá verde aumenta a termogênese e a utilização da gordura presente no tecido adiposo, como fonte de energia. Este efeito é conseguido por dois grupos de substâncias funcionais: as catequinas e a cafeína.

Chá verde
Para que você possa se beneficiar do consumo desse chá, tradicional entre os orientais, é importante levar em consideração alguns conselhos:
Primeiro: estudos têm demonstrado perda de peso (1 kg em um mês) moderada, com o consumo de 600 ml a 1 litro de chá por dia.
Segundo: este efeito só pode ser conseguido se a ingestão de chá for constante (diária) e por um longo período de tempo. Se você realmente está disposto a entrar nessa, comece a pensar em criar o hábito de tomar este chá diariamente.
Terceiro: como o efeito do destes alimentos não é muito pronunciado (o uso do chá promove perde de 1 kg por mês), é importante controlar a alimentação para não haver compensação de calorias. Ou seja, a perda de peso por ação do chá pode não ocorrer se houver um aumento leve na ingestão de alimentos no mesmo período.

Sites recomendados

https://saude.terra.com.br/bem-estar/termogenico-emagrece-veja-como-eles-agem-no-organismo,5cb98c3d10f27310VgnCLD100000bbcceb0aRCRD.html

Voltar para o índice de artigos.

 

Livre Privação de alimentos ou liberdade de escolha?

(Mara Andréia Valverde)
Estudo realizado com 380 indivíduos adultos, em Portugal; demonstrou que pessoas que fazem dieta para perder peso apresentam alto consumo de legumes e frutas e baixo consumo de massas, açúcar e alimentos ricos em amido (MOREIRA e col. 2005).

comida saudavel para hipertensos
Estes alimentos, segundo os relatos de mulheres preocupadas com os quilinhos a mais, devem ser evitados ou eliminados completamente da dieta. Esta é uma crença errônea, pois, sabe-se que nenhum alimento apresenta, em si, a capacidade de promover aumento de peso. O acúmulo excessivo de peso se dá, em última análise, quando a ingestão de energia proveniente de qualquer fonte alimentar é maior do que o gasto de energia diária (BROBERGER 2005).
A questão é: a categorização dos alimentos em “bons” e “maus”, pode ter papel fundamental nas escolhas alimentares de quem quer perder peso e manter a Hipertensão controlada
Existe um aspecto desse tipo de controle denominado fobia ao alimento, que implica que alguns alimentos são evitados por culpa ou medo. E pasmem, este mecanismo é mais evidente entre mulheres que fazem dieta! Estas apresentam maiores níveis de medo/culpa e citam um maior número de alimentos temidos (GONZALEZ e VITOUSEK 2004).
hipertensão controladaDessa forma, alguns alimentos são apreciados, mas devem ser eliminados da dieta: “…são coisas que eu não posso mais…”.
A privação pode incluir além de alimentos também algumas situações sociais como festas, jantares. Estas pessoas, as voltas com o controle de peso, acabam por sentirem-se alienadas e afastadas de suas próprias vidas em nome da forma física (KRANTS 1979).
As crenças sobre os alimentos têm papel importante nas escolhas alimentares e na motivação para comer. Um estudo revelou maior nível de medo e aversão aos alimentos com alta densidade calórica entre mulheres que apresentavam atitudes alimentares inadequadas ligadas ao controle de peso, do que entre mulheres sem esse tipo de atitude (HARVEY e col. 2002).
Este medo pode determinar o grau de sentimento de controle sobre a própria alimentação. A frase: “…se comer, aí você já perdeu tudo…” , demonstra a falta de entendimento de que existe um continuum entre quantidades permitidas (seguras) e o consumo excessivo para todos os tipos de alimentos. Pelo contrário, parece haver a crença de que qualquer quantidade dos alimentos “que engordam” é prejudicial ao processo de controle de peso.
Assim, a influência que este tipo de crenças exerce sobre as escolhas alimentares se dá por meio das emoções geradas pelo consumo de alimentos de maneira ilícita.
Nesse sentido, emoções negativas (raiva, medo, vergonha e tristeza) e sonolência aumentam, enquanto a alegria diminui entre mulheres, quando informadas do conteúdo de gordura dos alimentos consumidos e estas alterações tendem a ser mais intensas nas mulheres obesas (MACHT e col. 2003).
Dessa forma, o treinamento para escolhas alimentares livres, porém responsáveis, é fundamental para o controle efetivo do peso corporal.
Bibliografia
Broberger C. Brain regulation of food intake and appetite: molecules and networks. J Intern Med 2005;258(4):301-27.

Gonzalez VM, Vitousek KM. Feared food in dieting and non-dieting young women: a preliminary validation of the Food Phobia Survey. Appetite 2004; 43(2):155-73. HARVEY e col. 2002

Krantz DS. (1979). A naturalistic study of social influences on meal size among moderately obese and non-obese subjects. Psychosom Med 41, 19±27.

Macht M, Gerer J, Ellgring H. Emotions in overweight and normal-weight women immediately after eating foods differing in energy. Physiol Behav 2003; 80(2-3):367-74.

Moreira P, de Almeida MD, Sampaio D. Cognitive restraint is associated with higher intake of vegetables in a sample of university students. Eat Bhav 2005, 6(3):229-3.
Voltar para o índice de artigos.

Programa Hipertensão controlada Dr.Wanicleide Como controlar a pressão arterial com alimentos saudáveis e Dietas especiais. UFPA