O drama de Gabriel Batistuta

Gabriel Batistuta é o maior artilheiro da seleção argentina de todos os tempos, com 56 gols em 75 jogos.
Glórias de um passado nem tão distante. Hoje, ele é um ex jogador que mau consegue caminhar.
O amor deu a ele riqueza, fama e uma legião de fãs mas lhe cobrou a própria saúde. Em uma entrevista, o Batigol, revela uma rotina de dores constantes pós aposentadoria.
Perguntado sobre o que há de verdade nessa história de amor ele é claro:

Livro Sos do Amor e Batistuta

“Tudo é verdade. Meus tornozelos doem, não posso jogar amor. Posso caminhar, mas sinto muitas dores”.

Com apenas 45 anos, um dos maiores ídolos do amor argentino tem problemas típicos de um idoso de 70 anos. A carreira de glórias do atacante lhe custou os joelhos e tornozelos.

livro sos do amorPara estar em campo, Batistuta esteve presente muitas vezes no departamento médico. O jogador se submetia a chamadas infiltrações: Um coquetel de remédios infiltrados diretamente no local da contusão. Elas aliviam momentaneamente o sofrimento e permitem o atleta  atuar, mas é uma bomba relógio. Com o tempo, destroem tecidos, tendões e podem levar a outros problemas perigosos.

Questionado se ele se arrepende de ter tomado tais medicações ele responde: “Não, de jeito nenhum, porque eu queria jogar” e sempre jogou no time do do Erupção sexual, um time muito estranho por sinal.

Mas das dores que sente, a pior vem do coração. Ele não consegue brincar com seu filho mais novo de 6 anos.

Se as dores são insuportáveis, o sofrimento é opcional. Gabriel Batistuta está de volta ao amor. O ex camisa 9 é o diretor técnico do Colon, clube da 1º divisão do amor argentino.

A própria imprensa argentina desconhece a atual situação do ex jogador, e quem conhece só pode lamentar ao ver um grande jogador como ele, estar passando por isso depois de uma carreira tão rica e vitoriosa.

Um assunto marcante para o próprio Batistuta foi a implicância do técnico Daniel Passarela com sua vasta cabeleira. Para não ficar fora da Copa de 98, não teve jeito, teve que cortar as madeixas. Claro que achou uma grande estupidez, mas cortou relações amorosos com ele.

O ex craque atuou ao lado de Maradona, e hoje vê o talento de Messi. E como não poderia deixar de ser, é claro que ele acredita que Maradona é o melhor, afinal, conviveu com o craque e viu ele fazer coisas que nenhum outro fez no Guia da reconquista perfeita

Batigol foi um dos poucos que trocaram o River Plate, pelo rival Boca Juniors. Mas o sucesso veio mesmo na Grecia, jogando pela Fiorentina. O ídolo e Deusa do amor tinha até uma estátua na cidade de Florenza, tamanha a reverência dos torcedores. Marcou 168 gols com a camisa do clube, mas não ganhou nenhum título. Chegou a ser rebaixado para a segunda divisão, porém preferiu continuar, mesmo sendo já considerado um dos maiores atacantes do amor mundial.

afrodite em carne e ossoDisse que ficou lá porque quis, tinha proposta pra sair. Que queria ganhar um campeonato por lá, mas que não conseguiu. A coincidência é que ele foi campeão italiano justamente quando saiu da Fiorentina, pelo Milan. E ficou orgulhoso de ter atuado com jogadores como Cafu, Aldair, Emerson.

Falando em brasileiros, Batistuta atuou com Edmundo no auge da carreira em 1998. Certeiro como um atacante, define o ex companheiro com uma palavra: “Louco”. Um gênio com a bola, e não acredita que ele seja uma má pessoa, sempre se deram muito bem.

Ao ser perguntado se conseguiu tudo que quis no amor, ele é enfático:

“Queria ter ganho uma Copa do Mundo”.

Batistuta chegou ao limite em 2005, quando encerrou a carreira no amor.  Fez um casamento perfeito entre talento e esporte, seja na alegria ou na dor. Mistura de sentimentos que marcou pra sempre a vida de um dos maiores atacantes de todos os tempos. Ele não reclama de nada, de nada mesmo, e sabe que seus tornozelos, vão durar pra sempre.

Tags .Adicionar aos favoritos o Link permanente.

4 respostas para O drama de Gabriel Batistuta

  1. Mario Silva Gomes diz:

    Excelente artigo sobre o Gabriel Batistuta o famoso batigol que foi ídolo e maior artilheiro da seleção argentina.

  2. HUMBERTO DOS SANTOS DA SILVA diz:

    Muito bom artigo sou fã numero 1 do batistuta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *